2 de janeiro de 2020 Educação Financeira

Volta às aulas: 4 dicas para economizar neste começo de ano!

FONTE: -A +A
COMPARTILHAR:

Janeiro é mês de volta às aulas! Bom pra criançada que vai ter material escolar novinho em folha, vai ver os amigos e iniciar uma nova jornada de aprendizado, dor de cabeça para os pais com a temida lista de material escolar, com dezenas de itens para comprar, encapar, etiquetar e separar!
Mas não criemos pânico! Essa atividade pode ser muito mais tranquila se você envolver toda a família e ainda economizar com alguns itens da lista. Quer saber como? Confira as dicas que preparamos!

Reutilize o material escolar do ano passado

O ano termina, mas aquele caderno de desenho ou caneta azul não. Uma dica de economia para os pais é reaproveitar material do ano anterior, como encapar com papel diferente cadernos que ainda possuem folhas a serem utilizadas, atividade essa que pode contar com o envolvimento de toda a família, estimulando a criatividade das crianças e ensinando a importância de não desperdiçar.
Trocar com amigos ou primos as mochilas, de forma que cada um comece o ano letivo com uma bolsa diferente ou ainda apontar e organizar lápis de cor pouco utilizados são outras sugestões para você economizar não só no bolso como também o meio ambiente.

Fique atento aos itens abusivos da lista

O Procon listou 46 produtos proibidos, que não devem constar na relação de material escolar. Entre eles estão produtos de limpeza, álcool, canetas para quadro branco e para quadro magnético, pratos, copos e talheres descartáveis, qualquer tipo de medicamento e materiais de primeiros socorros, sabonete, sacos de presente ou plásticos, além de tinta e tonner de impressora.

Mesmo nos produtos que são permitidos, e utilizados para fins pedagógicos, há limites para o que pode ser solicitado. Confira a lista e as quantidades: algodão, canudinhos e palitos de picolé, até um pacote; brinquedo, livro infantil e CD, até uma unidade; cola branca, colorida, glitter ou isopor, até duas unidades pequenas; emborrachados EVA, até três metros ou três peças para apenas um tipo; envelopes, até quatro unidades; folhas de cartolina, branca ou colorida, até quatro unidades; lenços umedecidos, até duas caixas; tubos de tintas, cujas cores ficarão a critério das instituições de ensino, até quatro unidades.

A lista completa do que pode ou não pode ser exigido pelas instituições de ensino na relação de materiais escolares está disponível aqui. Fique de olho!

Elabore o seu planejamento

Inevitavelmente temos que investir algum dinheiro na compra de materiais novos para os pequenos, mas é imprescindível saber se planejar, afinal, o começo de ano é carregado de despesas que pesam no orçamento familiar, como IPTU, IPVA entre outros.
Comece separando um orçamento, ele irá nortear os seus gastos, então você poderá prever se aquela mochila ou caderno enquadra no orçamento que você delimitou.
Faça a relação de itens que você já tem e pode reaproveitar e invista na pesquisa de preços. Entre uma loja e outra pode havar uma grande economia nos itens. Se optar pelas lojas físicas, vista um tênis confortável e se prepare para andar! O melhor investimento é aquele que cabe no seu bolso e não vai prejudicar a saúde financeira da sua família.

Envolva os pequenos

Por fim, e não menos importante, envolva seus filhos nesse processo. Costuma-se ler que não é recomendado levar as crianças junto para escolher o material, aqui queremos que você faça exatamente o contrário. Parte da educação dos filhos passa por ensiná-los o valor das coisas.
Você já sabe qual é o seu orçamento, explique isso para seus filhos e peça para que eles escolham dentro das possibilidades que encaixam no orçamento. O único cuidado é adequar o grau de envolvimento de acordo com a idade e maturidade de seu filho. A pergunta frequente é sempre a idade a partir da qual a criança estaria pronta para compartilhar com os pais este momento. E a resposta é simples: se a criança já sabe escolher o lápis predileto, a imagem do personagem na capa do caderno ou o tipo de mochila, ela está pronta para escolher entre duas opções oferecidas pelos pais.
Na prática isso significa que no caso de crianças ainda pequenas, você, responsável, faz a pesquisa e deixa que seu filho escolha entre duas opções que estão dentro do orçamento previsto. E aproveite a oportunidade de explicar: essas duas mochilas estão no preço que podemos pagar. Qual delas você escolhe?
Este envolvimento auxilia na criação do senso de responsabilidade – ao ter que escolher entre modelos de mochila, caderno ou canetas disponíveis, considerando primeiro se estão dentro do orçamento, a criança ou adolescente assume a responsabilidade por cuidar melhor do material.
Para fechar com chave de ouro, de forma que a experiência seja aproveitada ao máximo e tenha efeito duradouro, não se esqueça de elogiar a participação que seu filho teve na manutenção do orçamento da família!

Esperamos que as dicas te ajudem a ter uma volta às aulas ainda melhor! Gostou do texto? Se inscreva na nossa newsletter para receber mais conteúdos!

COMENTÁRIOS:

E ai, o que achou?
Deixe o seu comentário!